Pattern VIII

A artista confere significado ao uso das coordenadas horizontal e vertical (coletivo e individual; público e privado). Ela formata esse esquema em qualquer superfície, o que sugere tratar-se de uma estrutura expansiva ao infinito. Sua trama de relações, entretanto, não tem por objetivo uma harmonia dinâmica: ao esmaecer contornos, ao parodiar a rigidez, ao devolver a textura ao plano, a obra visa claramente a desarmonia.
Desarmonia do legado moderno, bem entendido. Na instalação de Sheila Mann, público e privado estão imiscuídos e a privacidade acabou. Em uma experiência anterior (Casa Blindada, 2000), as linhas vermelhas e pretas circunscrevendo quadrados brancos eram fitas auto-adesivas sobre azulejo de cozinha. Na obra feita para a Temporada de Projetos, uma pintura serviu como matriz para uma estampa que, aplicada, foi utilizada como forro para cadeiras, pufes, chão e parede, além de arremedar-se em cortina.

Juliana Monachesi